visitantes online

sábado, outubro 10, 2009

hi, folks!

é, eu sei que eu não posto faz muito tempo! mas é que eu tenho de estudar e tudo mais, e fica complicado entrar aqui! não tenho nem conferido as novidades dos outros blogs.

eu pensei em postar por aqui hoje, mas não tenho novidades. contudo, eu queria falar sobre um assunto que eu considero importante, não pretendo mudar o mundo com ele, muito menos convencê-los de que estou certa! porém, eu espero que algumas pessoas compartilhem desta opinião! não é algo sobre o qual se deseja falar, mas eu tenho, cada vez mais, pensado muito sobre como as pessoas (talvez eu possa dizer 'nós') não percebem que estão caminhando para o fim! por exemplo, é triste perceber o descaso das autoridades com todos nós. hoje mesmo eu estava assistindo ao jornal nacional, quando passou uma matéria falando sobre uma espécie de ''conjunto habitacional'' que o governo estava, teoricamente, construindo. as casas estavam prontas, mas as pessoas não podiam ir morar lá, pois não tem esgoto, seria então impossível utilizar as caixas d'água. no final, apareceu uma mulher dizendo que quando percebeu que estava demorarando a entrega da casa, acabou invandindo um terreno e fazendo uma casinha pra ela.

aí é quando eu penso, enquanto estas pessoas vivem esta situação, nossos políticos estão ganhando um salário exuberante, e até, ironicamente, construindo ''castelos'' de vez em quando(retomando aquele fato vergonhoso). e é este mesmo país que tem representado a igualdade aos olhos do mundo inteiro, foi escolhido como sede das olímpiadas também por este motivo. eu me pergunto, às vezes, 'igualdade pra quem?'. esta não é uma pergunta de agora, e não exclusiva da nossa situação, é um questionamento existente, provavelmente, desde a Revolução Francesa, após o tão famoso lema: ''Liberté, Igualité, Fraternité''. nunca existiu tal coisa. ou talvez estejamos unidos, como iguais, porém buscando interesses individuais. isto tudo, já é do conhecimento de todos, eu sei, mas e por que continua como está? a reposta não é muito difícil. porque quem controla nossas ações não é sempre nós mesmos, fomos criados aceitando todos os fatos vergonhosos de desigualdade. e a verdade é que a igualdade vai estar bem mais distante de ser alcançada se continuarmos como estamos, fingindo que temos pena de quem tem fome, de quem não consegue competir. muitas pessoas gostam de sentir pena dos outros, apenas querem exaltar a si próprias, não querem parecer ''sem coração''. apenas por sentirem pena, parecem acreditar que já foi de grande ajuda.

diante de todos os problemas tão conhecidos, eu realmente acredito que a previsão de Aldous Huxley pode estar certa. pois, se nada for feito, este mundo será inabitável, e não levará muito tempo. então, por que não condicionar as pessoas a trabalharem pelo bem comum, aceitando as diferenças entre elas e a si próprias como são, em prol da felicidade geral? este seria um resumo de ''brave new world'' (Huxley), parece uma visão otimista. talvez, depende do ponto de vista. porém esta foi uma crítica ao comportamento humano, que segundo ele, levaria as pessoas a se relacionarem apenas por interesse. nós não nasceríamos mais como hoje, através de duas pessoas. seríamos criados em laboratórios. e um dos motivos pra isso? não apenas para fazer uma ''eugenia'', o sentido também é de evitar que as pessoas criem laços emocionais, para não sofrerem.

muitos relacionamentos já estão sendo movidos por interesse, alguns passos são necessários para que aquele ''futuro'' seja realidade. é verdade que naquele futuro, as pessoas realmente teriam direitos iguais, pois todas seriam controlados de acordo com o seu condicionamento (alfa, beta, gama, delta ou epsílon) desde a infância, parece um mundo perfeito. mesmo assim, não sei dizer o que é melhor.

eu não tenho poder nenhum sobre nada, nem ninguém (nem a mim mesma), mas eu espero poder contribuir para mudar alguma coisa, mesmo que não sejam ações ''para mudar o mundo''. mas, eu poderei dormir sabendo que eu não fiquei apenas procurando problemas sobre os quais comentar, mas também tentei encontrar uma solução; não fiquei sentindo pena de alguém, estendi a mão para poder ajudá-lo. isto me lembra a música ''You may say i'm a dreamer, but i'm not the only one/ I hope someday you'll join us/ And the worls will live as one''. desculpem, precisava falar isto, não são muitas as pessoas que irão ler isto (menos ainda serão aquelas com coragem de ler até o fim, talvez ninguém tenha, haha), mas é bom saber que eu compartilhei com alguém.






''O brave new world'', he repeated. ''O brave new world, that has such people in it. let's start at once.'' John - Brave New World

0 comentários:

breaking

breaking spots

About this BLOG

este blog foi criado por mim, nathália brasil, e convidei dois amigos meus para me ajudar, a lena (leleski) e o henry (nerdman), espero que gostem! :)

comentários

Este blog possui atualmente:
Comentários em Artigos!
Widget UsuárioCompulsivo
credit to ourblogtemplates.com ©2008-2009 Breaking Spots Blogspot Some Rights Reserved